quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

"MINHAS FADAS" - FELIZ ANO ANO !

Imagem Fonte: rlv.zcache.com.br

O Blog "Minhas Fadas" 
Deseja a todos nossos Visitantes,
um Feliz e Mágico 2016 !!

Aromas de Rosas,
Lilly Rose 

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

AS FADAS E A NOITE DO NATAL

Texto de Lilly Rose. Inspirado nos Estudos de Lilly Rose e em Betty Bib, O Livro das Fadas de Natal, Editora PubliFolha. Imagem  Fonte: glimboo.com  
Video Silent Night (em Irlandês) Christmas dos Arquivos de Lilly Rose.

AS FADAS E A NOITE DO NATAL



Para aqueles dentre nós que conhecem um pouquinho sobre a natureza da Fadas, não é mister que elas adoram uma alegre e animada festa.

Para nós Mortais, o Natal representa a Festividade mais esperada do Ano. E é claro que uma Celebração assim tão significativa, onde renasce a Fraternidade Humana não passaria desapercebida por tão amorosas Criaturas Etéricas como as Fadas.

Sem que percebamos muitas vezes lá estão elas entre nós, adentrando pelas altas chaminés, sua passagem favorita, pelas portas e janelas, ou ainda escondidas entre pacotes de presentes...

Fadas apreciam ambientes limpos, alegres onde reinem essencialmente a Harmonia e o Respeito ao Próximo.

Na Noite de Natal, elas costumam ser atraídas pela sinceridade de um belo sorriso, por alegres melodias e principalmente pelo colorido do ambiente Natalino. Mas não nos iludamos....

Não é preciso termos uma casa rica, toda enfeitada e com uma mesa farta para atrair as Fadinhas... Elas conseguem ver a Verdadeira Beleza desta Festividade dentro do Coração de cada Mortal seja ele rico ou pobre, o que lhes importa é a Pureza do Coração.

Aqueles que possuem tal característica as Graciosas Fadas os reconhecem como Espíritos de Luz, que carregam um presente Divino e Raro durante os 365 dias do Ano, a Verdadeira Fé, Alegria e Fraternidade Universais. Ou seja, no Coração destas Pessoas o Natal renasce a cada Dia...

A presença das Fadas no Natal é sempre um momento a mais de Magia e Amor que recebemos, pois elas incentivam a Amorosidade entre nós Mortais... Esta Amorosidade sentimos ao nos emocionarmos com a simples presença de um Amigo querido, ou no abraço carinhoso que trocamos com aquele Familiar, que de muito longe veio para compartilhar conosco esta Abençoada Celebração.

Isso para as Fadas é simplesmente a melhor e mais Divina Magia, a Magia do Amor e da Luz, e que adentra no Coração mais cético ou empedernido...

Antigas Lendas Etéricas do Reino das Fadas, afirmam que o Mortal cujo Aniversário cair no próprio Dia do Natal será para sempre coberto por uma Aura Mágica e Especial de Boa Sorte !


A DEDICADA E BONDOSA AMIGA MÁGICA DE PAPAI NOEL 
 FADA RAINHA DA NEVE

No País das Fadas a Fada Rainha da Neve, é sempre no Natal uma das Presenças Etéricas mais Ilustres. No Reino Mortal nunca se sabe ao certo qdo ela chegará próxima a nós. Mas denotaremos sua presença ao ouvirmos o assobio de seu próprio trenó sobre nossas cabeças, ai então saberemos da chegada de tão Bela e Gentil Fada, e ela por certo junto ao Bondoso Papai Noel farão de nosso Natal um Momento especialmente Encantado.


"MINHAS FADAS" DESEJA A TODOS UM FELIZ E ABENÇOADO NATAL

video

Junto a Fada da Neve e ao Bom Velhinho Papai Noel, o "Blog Minhas Fadas" deseja a cada Querido Elfo e Fada Um Mágico e Abençoado Natal. Com a Semente do Amor do Amado Mestre Jesus, a Renascer no Coração de Cada Um de Nós!! Feliz Natal!!!

Aromas de Cerejas...

Lilly Rose

domingo, 22 de novembro de 2015

FADAS DAS ÁGUAS, SELKIES E SEREIAS DO MAR

Texto de Lilly Rose, adaptado de Pesquisas de Lilly Rose e de Ted Andrews, O Encantado Mundo das Fadas, Editora Nova Era. Imagem de Abertura Fonte: www.renderosity.com
  Autora Schonee - Imagem 2 Fonte: www.google.com 
 Demais Imagens Fonte: www.renderosity.com 
 Autora Schonee. Imagem Selkie Fonte: Arquivos de Lilly Rose.

                " FADAS DAS ÁGUAS, SELKIES E SEREIAS DO MAR "


UMA BELA ONDINA A DESVENDAR OS MISTÉRIOS DO MAR


As Fadas das Águas, as Ondinas e outros Elementais Aquáticos como Sereias e Selkies, apresentam um Grau de Evolução bem maior que Seres Etéricos dos demais Elementos Naturais.

A razão reside no facto da Água ser um Elemento Uno, Indivisível. Assim, todos os Espíritos Aquáticos encontram-se interligados a partir de um Centro Único, ou Célula - Mãe, neste caso o Elemento Água.

A Conexão entre a Água e seus Habitantes Etéricos é tamanha e benéfica, que esta Força Natural é capaz de trazer ao Ser Humano um excepcional restabelecimento de sua Energia Vital.

Basta lembrarmos que em termos científicos quase 70% do Corpo Humano é constituído por Água e dela necessitamos para sobreviver. Portanto temos também assim como os Seres Etéricos das Águas, por Natureza Atávica, um forte Elo com o Elemento Água.

Elementais como Ondinas( Fadas das Águas), Sereias e Selkies, apresentam diversas características salutares a nós Mortais, tais como o Poder Natural de Cura Psíquica e Orgânica. Não é por acaso então, que Regiões Litorâneas são indicadas para aqueles que desejam recuperar suas Forças e Saúde...

Os Espíritos Etéricos das Águas, sejam de Ambiente Marinho ou de Água Doce, variam de forma ou tamanho, pois refletem as características do tipo de Água em que vivem.

Por exemplo os Elementais que regem ou governam os Oceanos são as Sereias, e tal qual os Mares mais bravios, são de Natureza imprevisível, sedutora e turbulenta...

                 "A IRRESISTÍVEL E TURBULENTA PAIXÃO DE UMA SEREIA"


As Sereias são dotadas de uma beleza Feminina invejável, de temperamento volúvel e extremamente sedutor ao Homem Mortal.

São elas imcumbidas pelo Ser Supremo, de proteger a todos os Animais Marinhos. E ainda capazes de agraciar o Ser Humano que sinceramente Amar e Presevar a Natureza, com os Dons da Cura e Conhecimento Medicinal.

O IMPOSSÍVEL AMOR ENTRE UM HOMEM E UMA SEREIA


Segundo Tradições das Ilhas Shetland e Islândia, em suas Águas habitariam os Selkies, Seres Etéricos normalmente com forma e aspecto de Focas acinzentadas.

De acordo com Antigas Lendas, Selkies Machos e Fêmeas, sairíam à noite das Águas em direção à terra firme.

As Selkies Fêmeas sob a Mágica Luz do Luar assumiriam a forma Humana de Belíssimas e Atraentes Mulheres para os Homens Mortais.

Já os Selkies Machos também com a capacidade de transmutarem-se à forma Humana , constituiríam-se em Homens não tão belos porém, apaixonadamente bondosos e incontrolávelmente sedutores aos Olhos Femininos Mortais.

Lendas que perderam-se em sua íntegra pelo Tempo, afirmam que quando uma Mulher desejava por demais engravidar, bastaria que a mesma derramasse exatas Sete Lágrimas sobre as Águas, para atrair um Amante Selkie das Profundezas do Mar.

O Encontro era sempre norteado pela Grande Magia do Amor, com Sincero Afeto, regado à Pureza e à sensibilidade por parte do Amante Selkie. Contudo após cumprir o desejo de sua Amada Mortal, muitas vezes já enamorado, o Selkie deveria inevitavelmente retornar à sua Morada, o Oceano, caso contrário sua Essência Etérica estaria fadada à Morte.


UM SELKIE ROMPE A NOITE DE LUAR AO CLAMOR DE UM AMOR


Por sua vez, a Mulher que o chamou através de suas Lágrimas, já com a semente deste Amor em seu Ventre deveria agradecer com Ternura e Respeito à Mãe Natureza e aos Espíritos das Águas, por terem-lhe concedido o Abençoado Dom da Maternidade, retornando feliz ao seu Lar, sem olhar uma vez sequer para trás...

Como todo o Manancial Aquático possui ao menos um Guardião Etérico ou mais,( alguns apresentam milhares destes Seres...) é extremamente comum e recompensador aos Olhos Mortais bem treinados, encontrar em tais Mananciais, Cortejos de belas Ninfas, Ondinas e outros Elementais das Águas.

Portanto as Vias Aquáticas são tradicionalmente as Rotas de Viajem mais utilizadas
no Reino das Fadas.
Observemos pois com maior atenção um ambiente aquático, em especial Marinho quando tivermos tal oportunidade.

Desta forma constataremos como a Água e seus Habitantes Etéricos nos Harmonizam instantâneamente com as Dimensões mais sutis do Plano Astral, onde seus Seres atuam com maior intensidade.

Esta Harmonização incorpora-se não somente ao nosso Corpo Físico, como também ao nosso Corpo Espiritual, revitalizando assim toda a nossa Energia Vital.


Aromas de Violetas...

Lilly Rose

quarta-feira, 24 de junho de 2015

24 DE JUNHO - O DIA DAS FADAS !


Texto de Lilly Rose, inspirado e adaptado de Alejandra Ramírez, "El Gran Libro de Las Hadas", Editora Libsa- Skye Alexander, "Astrologia Mágica", Editora Novo Século.
Imagem Inicial Fonte: www.papeisdeparedefantasia.com.  
 Imagem Final Fonte: Arquivos de Lilly Rose - Demais Imagens Fonte: www.magickalgraphics.com Video: Fonte www.youtube.com - O Sonho das Fadas, Músicas de Enya.


 24 DE JUNHO -  O DIA DAS FADAS !

Hoje 24 de junho, celebra-se pelo Calendário Celta, o dia das Fadas. Este é (junto ao Festival de Samhain), um dos mais importantes Festejos do País das Fadas.

Mas para melhor entendermos as Celebrações destes graciosos seres mágicos, é necessário compreender e comparar nosso tempo Mortal com o Etérico.

A Humanindade atualmente segue e marca a passagem do tempo através do Calendário Gregoriano, datado do Século XVI.

O Homem dada sua natureza temporal, condicionou analisar a equivalência deste Calendário, com a vida de outros seres na Terra.

As Fadas assim como nós, possuem um ciclo de vida. Ou seja, elas tbém são mortais, embora vivam numa outra dimensão.

video


Logo como seres mortais, estão igualmente submetidas à pasagem do tempo.

Mas no País das Fadas, o tempo avança de uma forma muito lenta. Isto explicaria porque fadas vivem tantos anos, se comparadas aos Seres Humanos.

Para melhor ilustrarmos esta constatação, segue-se uma lenda de outrora.

"Certa feita um camponês caminhava pela floresta, qdo acidentalmente atravessou um Anel Mágico de Fadas. E assim, chegou ao território destas fascinantes criaturas.

Quando finalmente ele conseguiu voltar a nosso mundo mortal, haviam-se passado centenas de anos. Ao tomar ciência de seu retorno ele percebeu que estivera no País das Fadas, por apenas poucos meses."

Uma hora no País das Fadas equivaleria a um dia na Terra. E um dia corresponderia a um ano em nosso mundo.

Mas casos como estes não podem servir para estabelecermos padrões entre dias e anos, quando o tema é o Tempo das Fadas.

Outras lendas igualmente antigas, descrevem raptos de seres humanos por Fadas.
E quando estas os devolviam à nossa dimensão, não havía-se passado um minuto sequer.

Como podemos perceber, o Tempo no País das Fadas é tão relativo qto o Tempo de nosso Mundo Mortal.

Mas existe um consenso entre os estudiosos destes encantadores seres.
"As Fadas parecem exercer um maior controle sobre o Tempo, que o Ser humano."

Fairy Comments & Graphics

~Magickal Graphics~

Vivendo em estreito contacto com a Mãe Natureza, as Fadas amam festejar as mudanças das Estações do Ano.
Para tanto suas celebrações seguem o antigo Calendário Celta. Também um calendário lunar, contudo diferente do Gregoriano.

Este fato explica porque suas festividades não costumam coincidir com as nossas.

Para os Celtas, o ano iniciáva-se na Véspera de Primeiro de Novembro.
Esta noite(31 de Outurbro) ainda hoje é conhecida por Samhain ou Halloween. Nesta data, todas as leis mortais seriam revogadas e o tempo permaneceria em suspenso.

Samhain era o Deus Celta da Morte. Em seu sentido figurado, ele tiraria a vida do Rei Sol para abrir caminho ao Inverno. O Samhain é uma época de abertura de portais mágicos. Momento propício para contactar-se c/ guias espirituais, espíritos e entes queridos que já se foram.

Dentro do Calendário Celta, as Festividades mais relevantes seriam a Noite do Samhain e a Véspera de 24 de Junho.

Esta última seria a ocasião em que festeja-se o Verão, iniciado em 21 de Junho.
Aqui marca-se o Solstício de Verão, qdo ocorre (no Hemisfério Norte) o dia mais longo do ano.

Momento em que o Rei Sol chega ao auge de seus poderes e reina no alto dos Céus.
É o tempo de celebrar a vida e as riquezas da Mãe Natureza.

Litha Comments & Graphics

Magickal Graphics

A noite de São João, ou a Véspera de 24 de Junho é provavelmente a data mais importante para as Fadas.

Pois trata-se de uma noite extremamente mágica. Onde unem-se uma festa religiosa com
uma celebração pagã.

No passado(por toda a Europa), camponeses festejavam esta noite acendendo fogueiras pelos campos, para celebrar a chegada do Verão.

Com este Ritual eles acreditavam poder exorcizar maus espíritos e proteger suas colheitas.

As Fadas participavam alegremente desta dupla festividade junto aos camponeses.
Um momento raro, onde umiam-se dois Mundos Distintos, para homenagear a Mãe Natureza.

De acordo com estudiosos do Mundo Etérico, as Fadas costumam celebrar suas festas sempre do mesmo modo.

Os festejos iniciam-se ao cair da tarde c/um grande Desfile. 
E prolongam-se até o amanhecer do dia 24.

Durante a tarde já começam os preparativos dos cortejos mágicos. É chegado o momento em que as vaidosas Fadinhas escolhem seus trajes. Normalmente suaves vestidos de cetim e tule.

Fairy Comments & Graphics

~Magickal Graphics~

Outras cuidam de celar seus belos Corcéis, adornando-os com sinos e coloridas franjas.
Precisamente à meia noite, ao soar das doze badaladas de relógios mortais, inicia-se a procissão.

A ordem geralmente já está estabelecida. Primeiro, com todas as honras avançam os Reis e seus Cortejos. Abre alas um Estandarte seguido de um grupo de Cavaleiros.
Todos obedecendo às ordens do Rei.

Os grupos podem ser distinguidos pelas cores. Os Cavaleiros apresentam-se na mesma cor que seu respectivo Estandarte.

Começam a soar gaitas, flautas e tambores. Em primeiro lugar vislumbra-se o Estandarte Escarlate e sua comitiva, de mesma cor. Logo atrás surge o Estandarte Verde e seus nobres Cavaleiros. E finalmente o Estandarte Branco, com os últimos Cavaleiros.

O encerramento do Desfile acontece quando entram as Fadas junto aos Cortesãos. Estes unidos, alegram a celebração com seus trajes coloridos e vibrantes.

Agora sem uma ordem específica, algumas Fadas chegam montadas à cavalo, outras surgem dançando ao redor dos camponeses.

A estas procissões dá-se o nome de "A Corrida das Fadas".


Quando finaliza-se o Desfile as Fadinhas reúnem-se em Círculo, ao redor da grama.
Este é um Círculo ou Anel mágico. E que jamais deve ser transpassado por nós Mortais.
Caso isto aconteça poderemos ser levados para sempre ao País das Fadas.

Contudo em volta deste Círculo, as pessoas podem dançar alegremente próximas às Fadas, ao som da melodiosa música etérica.

Antigas lendas Celtas afirmam que se ao passarmos uma noite num bosque e ao longe, vislumbrarmos pequenas luzes dançantes, estaremos diante de uma graciosa Dança das Fadas.
Então hoje é motivo de celebração, para nós que amamos as graciosas Fadinhas!
Feliz Dia das Fadas para você !

Aromas de Rosas...
Lilly Rose
  

sexta-feira, 1 de maio de 2015

A LENDA DA FADA ALAMOA

Texto de Lilly Rose, adaptado dos estudos de Rosane Volpatto.
 Imagem Fonte: www.glimboo.com


Esta bela lenda de uma Fada Brasileira é sempre um verdadeiro 
convite ao mundo da magia e do amor !

Aprecie e sonhe :

" Em tempos que há muito se foram, existiu na Ilha de Fernando de Noronha um Reino encantado.
Sua linda Rainha chamava-se Fada Alamoa. Uma jovem deslumbrante com cabelos da cor do ouro. Seu grande palácio situava-se no alto da mais majestosa colina, a Colina Verde.

Diante desta exuberante paisagem Alamoa podia avistar logo nos primeiros raios de sol seu magnífico Jardim e até o bater das águas cristalinas entre as pedras.

Porém, um dia o Cruzeiro do Sul foi descoberto e com eles chegaram as caravelas e seus navegantes. O Reino então perdeu seu encanto, seus suntuosos palácios transformaram-se em 
negros blocos de basalto e suas deslumbrantes galerias em rochedos.

Mesmo assim, segundo as lendas até os dias de hoje, há quem diga 
 ver em Fernando de Noronha, a bela Fada Alamoa montada em cães selvagens à noite, 
vagando entre os montes e praias de seu amado Reino,
 ao qual jamais abandonou ! "


Aromas de brisas do mar...

Lilly Rose

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

AS FADAS DOS TROPÉIS E SEU BELO REINO

AS FADAS DOS TROPÉIS E SEU BELO REINO


Texto adaptado dos Estudos de Lilly Rose sobre Elementais, e de Ted Andrews, O Encanto do Mundo das Fadas, Editora Record.Imagem "Senhor dos Aneis" Fonte:www.google.com - Aragorn & Arwen (Atores Viggo Mortensen & Liv Tyler). Demais Imagens Fonte: Arquivos de Lilly Rose.


Muito antes do Ser Humano delimitar fronteiras na Terra, as Fadas e demais Seres Etéricos circulavam livremente pelo Mundo.
A Origem do termo "Fada" provavelmente tem suas raízes na palavra Latina "fatum", que significa Destino ou Fatalidade.
Uma clara alusão às Habilidades Etéricas em prever e interferir no Destino Humano.

No Passado, o contato entre Seres Etéricos e Humanos era facto comum. Mas as Fadas em especial, sempre possuíram uma Natureza volúvel, característica esta que hoje aliada à descrença do Homem em relação à existência dos Seres Etéricos, dificulta cada vez mais sua Visualização. Principalmente por Mortais extremamente Céticos, Racionais ou apegados por demais ao Materialismo Mundano.

A Crença no País ou Reino das Fadas é extremamente antiga, e remonta desde a Grécia de Outrora até chegar em seu Ápice, entre as Culturas Celtas e Escandinavas. Para estes Povos do Velho Mundo a existência do Pais das Fadas era facto notório, inquestionávelmente Concreto e Unânime entre os Seus.

Nas Antigas Grã-Bretanha e Irlanda as Fadas eram normalmente divididas de início em duas Categorias Básicas:

UMA FADA SELVAGEM SOLITÁRIA EM DEVANEIO AO LUAR


A- FADAS SELVAGENS: De Linhagem Inferior, ou menos Evoluídas na Hierarquia Etérica, eram Fadas extremamente arredias ao Contato Humano, e de Natureza indomável e solitária. Seu Habitat natural eram geralmente matas fechadas e de difícil acesso ao Homem.

UMA FADA DOS TROPÉIS A TOCAR SUAVE E MÁGICA MELODIA


B- FADAS DOS TROPÉIS: Diferentes das Fadas Selvagens, estas Fadas apreciavam conviver em alegres Grupos Etéricos. Sua Natureza era mais Evoluída espiritualmente que às das Fadas Selvagens. Eram consideradas a "Aristocracia" do País das Fadas. Dizia-se ainda que eram descendentes diretas dos Antigos Deuses.

Na Categoria das Fadas dos Tropéis estariam inclusas: as "Tuatha de Danaan", o Povo Consagrado da Deusa Celta "Dana", famosa por seus incontestáveis Poderes Mágicos e Destreza em toda a sorte de atividades.

Uma das Magias prediletas das Fadas dos Tropéis chamáva-se GLAMOUR. Ou a Habilidade que possuíam em fazer o Ser Humano visualizar somente o que elas desejassem; "Tudo", ou até mesmo "Nada", quando seu intento seria permanecerem invisíveis aos olhos Mortais.

Comparadas às Fadas Selvagens, cuja natureza era estritamente solitária, as Fadas dos Tropéis além de Belíssimas, apreciavam o contato com o Ser Humano.

AMOR SUPREMA MAGIA QUE UNE REINOS MORTAL E ETÉRICO


Portanto não é de estranhar-se que Antigos Relatos Bretãos atestem o "acasalamento" entre esta Categoria de Fadas (e outros Elementais como Elfas), com Homens do Reino Mortal. Mas o preço a ser pago para vivenciar tão grande Amor, era extremamente alto e arriscado para uma Fada ou Elfa...

Poderiam elas perder parcial ou totalmente sua Essência Etérica, a ponto desse facto levá-las à Morte. Contudo no momemto da União Plena entre Dois Mundos Distintos, nasceria para jamais fenecer, uma Energia provinda deste Mágico Amor, que expandiría-se à Natureza de forma tão bela e intensa, que perduraria Séculos e Séculos, mesmo após a morte das Apaixonadas Fadas ou Elfas.

Estudiosos de Elementais e também Teosofistas, afirmam que destas fantásticas Uniões entre Reinos Etérico e Mortal, teria surgido uma nova Linhagem de Seres Mágicos ( metade Humanos e metade Etéreos). Esta Linhagem sobreviveu ao longo do Tempo e encontraría-se ainda hoje ao nosso redor, sem que nos apercebêssemos de sua Presença...

Ainda segundo Estudiosos do Tema, para um Ser Humano visualizar esta Linhagem, ou mesmo uma Fada ou qualquer outro Ser do Reino Invisível, seria necessário além do Amor ao Próximo e Respeito à Mãe Natureza, outras três Virtudes, cada vez mais raras no Homem Moderno : 

HUMILDADE, GENEROSIDADE E SINCERIDADE.

Aromas de Rosas...

Lilly Rose

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

AS MÁGICAS E MISTERIOSAS TRILHAS CELTAS

AS MÁGICAS E MISTERIOSAS TRILHAS CELTAS

Texto de Lilly Rose. Adaptado de Pesquisas de Lilly Rose e Andy Baggott, Rituais Celtas, Editora Madras. Imagem 1 Fonte: www.intute.ac.uk - Imagens 2 e 3 Fontes: www.google.com - Imagem 4 Fonte: www.remosworld.net


AS MÁGICAS E MISTERIOSAS TRILHAS CELTAS

Quando nos deparamos com o Estudo de Antigas e Sábias Civilizações como os Celtas, de início ficamos a imaginar; que fascinantes, pacíficas e mágicas Vidas possuíam aquelas pessoas...

Sim, não restam dúvidas de que Civilização e Cultura Celtas deixaram-nos um Legado fantástico, rico em Tradições, Conhecimento e Reverência à Natureza.

Contudo ao nos aprofundarmos um pouco mais em tais Legados, descobriremos que "ser um Celta Vivo", era verdadeira e invejável proeza. Já "ser um Celta Morto" era tarefa bem mais fácil, e por vezes não muito digna de ser lembrada.

Pois os Celtas, priorizavam além do Respeito à Natureza, também a Coragem e a Honradez. Logo era bem melhor ao "Falecido" ter sido em Vida Honesto, Honrado e Destemido. E com uma História digna de ser contada a seus Descendentes. Caso contrário, tornaría-se exemplo de vergonha e covardia para sua Família e futuras Gerações.

GUERREIROS CELTAS - AMOR À NATUREZA, CORAGEM E HONRADEZ


E o que dizer então das viagens constantes, que necessitavam fazer os Celtas ? Eis aí outra grande aventura de Coragem e Sobrevivência.
Aqueles ( 1.800 Anos A.C aproximadamente ) eram tempos difíceis. Quando um Celta partia em viagem já sabia que inevitável seria, ter de embrenhar-se em trilhas meio a matas fechadas para chegar ao seu Destino.

Estas matas cobriam praticamente toda a Antiga Bretanha. E muitos Caminhos levavam o viajante incauto à tribos inimigas, tocas de Animais ferozes ou Portais para o Mundo Etérico, de onde dificilmente podería-se retornar...

Portanto ao decidir-se por uma viagem, um Celta deveria saber exatamente sua rota e como evitar os prováveis perigos de seu percurso.

Celtas não possuíam mapas ou bússolas, mas tinham algo muito melhor, e de causar inveja ao Homem Moderno. Para orientar um Viajante, os Celtas valiam-se dos "Fili".

"Fili" integravam uma Ordem singular dentro da Classe dos Sacerdotes Celtas, os Druídas. Os "Fili" eram Homens considerados verdadeiros " Atlas Caminhantes ".

UM JOVEM FILIDH AGUARDANDO ALEGREMENTE UM VIAJANTE


Eram eles desde a mais tenra idade, escolhidos para um Disciplinado Treinamento de Memória. Uma vez encerrado tal Aprendizado um "Filidh" ( singular de Fili ), galgaria mais 12 Anos de estudo a fim de memorizar 250 Histórias primárias e 100 secundárias. Tais Histórias, ofereciam ao Viajante 350 Mapas precisos de diversas regiões Bretãs, detalhando nelas trilhas com pontos estratégicos para uma rota segura.
Tais como marcos populares da época, perigos conhecidos, locais para repouso, todos perfeitamente anotados na memória do "Filidh".

Muitas das trilhas Celtas eram chamadas de "Caminhos ou Trilhas do Dragão" ou "da Serpente", pois estavam ligadas diretamente à Matriz Energética da Terra. Alguns destes Caminhos eram considerados Locais Sagrados como Glastonbury, Ridgeway que culminava em Avebury.

Mas mesmo com as sábias orientações dos "Fili", o Viajante Celta não estaria livre de todos os perigos que espreitavam sua rota.

OS BELOS, SEDUTORES E PERIGOSOS CAMINHOS ENCANTADOS


Cruzando as Trilhas do Dragão haviam outros Caminhos conhecidos como "Os Caminhos Encantados". Estes Caminhos eram habitados por Seres Etéricos (principalmente Fadas, Elfos, Duendes, Gnomos e Ondinas). E diferentemente das Rotas do Dragão, eram trilhas difícéis de serem identificadas.

Os "Caminhos Encantados" levavam facilmente um Viajante cansado a extenuar-se por completo, seguindo por exemplo uma Bela Fada. Ou ainda, perdería-se definitivamente ao deparar-se de súbito com a "Bruma ou Névoa Encantada", que o levaria para todo sempre ao Reino Etérico...

As chances de tais infortúnios ocorrerem, tornavam-se cada vez maiores se o Viajante não demonstrasse respeito aos Seres Etéricos e à Natureza. Então era sempre prudente ao adentrar em Terras Mágicas, o Viajante deixar de bom grado enquanto seguisse seu rumo, alguma oferenda ao Mundo Encantado. Como pequenos Cristais para Fadas e Gnomos, Flores para Elfos e Ondinas, ou Alimentos e objetos coloridos para Duendes.

Assim garantía-se a segurança na travessia pelos "Caminhos Encantados" e deles sairía-se ileso, retomando seu rumo pelas Confiáveis "Trilhas do Dragão".

Todas estas Histórias devem ser hoje encaradas por nós como Sábias Parábolas, que nos mostram e ensinam claramente a necessidade e importância de respeitarmos e preservarmos nossa Divina Mãe-Terra.


Aromas de Rosas...

Lilly Rose